Fórum da Indústria Sinop debateu tendências da economia com empresários

12/05/2022 - 11h11
Fórum da Indústria em Sinop
Evento reuniu empresários da região do Norte de Mato Grosso

O cenário econômico para 2022 foi tema da abertura do Fórum da Indústria MT 2022, promovido em Sinop, na quarta-feira (11), na sede do Sindicato das Indústrias Madeireiras do Norte do Estado de Mato Grosso (Sindusmad), pelo Sistema Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt, Sesi, Senai e IEL) como parte da programação do Mês da Indústria. A palestra, conduzida pelo economista e jornalista Luís Artur Nogueira, colunista de vários veículos de comunicação de alcance nacional, contou com a presença de indústrias e empresários da região.

O palestrante abordou o cenário atual do mundo e no Brasil em 2022, a partir de quatro fatos marcantes: a pandemia do coronavírus, a guerra entre Rússia e Urcânia, as eleições de outubro e a Copa do Mundo de Futebol. Para o economista, o coronavírus dá indicações de que não será mais um fator crucial na economia, em vista da vacinação e da queda do contágio e das mortes. A guerra, caso não se agrave, já traz a lição importante de que o mundo ainda é muito dependente do petróleo. A consequência imediata do conflito é o aumento da inflação em todos os continentes, forçando os Bancos Centrais a elevar os juros na economia.

No Brasil, tudo indica que o PIB em 2022, não passará de um crescimento de 0,5% a 1%, o que ele chama de “pibinho”. Para Luís Artur, a inflação elevada corroendo a renda e elevando os juros, somada à crise hídrica que aumentou os custos da energia elétrica, ao crédito mais caro e ao desemprego, inibirão o consumo e os investimentos. Ele abordou também o cenário político e destacou que a agenda econômica do futuro governo eleito será fundamental para reverter as consequências do baixo crescimento do PIB neste ano.

“Com tudo isso, as empresas estão, cada vez mais, olhando para dentro delas, buscando formas de serem mais eficientes, trabalhar com equipes mais produtivas, com menos custos, para conseguir ganha produtividade e mercado”, avaliou o economista, ressaltando que “para o setor industrial, o crescimento se dará em parte porque o Brasil tem um mercado consumidor muito grande, isso por si só sempre irá gerar demanda, mas principalmente se tivermos a certeza que, independentemente de quem seja o presidente eleito, que ele não vá dar uma guinada na economia”.

O economista seguiu destacando que o futuro presidente precisa seguir na linha liberal, promovendo reformas da economia, enxugando o tamanho do estado, melhorando a infraestrutura e fazendo o Brasil seguir no trilho econômico. Especificamente para Mato Grosso, ressaltou que um ponto muito positivo é que “uma economia muito interligada ao agronegócio, a própria agroindústria se beneficia disso. O único ponto de atenção que coloco é: trabalhar bem, nos próximos meses, as questões dos custos, que estão muito elevados também para esse segmento, é fundamental para que não acarrete prejuízos”.

Uma dica do ponto de vista financeiro, de acordo com Luís Artur é: “olhe para dentro da sua empresa, procure onde estão as ineficiências, reduza custos, enquanto estamos vivendo um momento de pressão de preços, inflação muito alta, o que é transitório – isso também vai passar”. Ainda segundo ele, é preciso estar preocupado mais com as despesas do que, no curto prazo, com as receitas. “Apesar das dificuldades no mundo e de Brasília, quem promove o crescimento do país somos nós, empresários”, concluiu.

O presidente da Fiemt, Gustavo de Oliveira, concordou com o ponto de vista e lembrou ainda que, em um ano em que muitas ‘perturbações’ acontecem no cenário político e econômico mundial, os empresários precisam estar preparados. “Qualquer presidente que venha, qualquer Congresso eleito, vai precisar avançar com uma agenda de reformas. Vamos continuar sofrendo pressão de custos, tendo dificuldades de contratação de pessoas. Portanto, investir em eficiência operacional, qualificação de mão de obra e estratégia de negócio é fundamental”.

O presidente do Sindusmad Wilson José Volkweis agradeceu pela oportunidade de receber a comitiva da Fiemt e os empresários locais. “Quero dar os parabéns ao presidente da Fiemt e a toda sua equipe. Foi um evento relevante que elucidou o cenário político mundial e do Brasil. Com esse conhecimento, poderemos tomar as melhores decisões. Em parceria, com a Fiemt, através do Senai, estamos buscando melhorias com a qualificação de mão de obra e fizemos sugestões para investir na educação para que o jovem cresça se preparando para o mercado de trabalho”.

Presento no evento, o presidente da União das Entidades de Sinop (Unisin), que congrega 22 associações, sindicatos que representam empresas, indústrias e a sociedade de forma geral, Carlos Henrique Fonseca, destacou a importância da discussão sobre o futuro da economia e dos negócios. “O maior capital que a gente tem é a informação e essa busca por conhecimento é um dos pilares de nossa instituição. Principalmente neste momento econômico em que estamos vivendo, é muito importante ouvirmos opinião de especialistas e discutir com os setores produtivos, para que possamos nortear nossas ações e definir qual caminho devemos traçar”.

Fórum da Indústria em Sinop
Evento foi realizado na sede do Sindusmad, sindicato industrial do 
setor de base florestal.

Mês da Indústria

A programação do Mês da Indústria tem sequência na quinta-feira (18), na sede Fiemt, em Cuiabá, com a palestra do programa Sócio Indústria e Banco do Brasil sobre cenários econômicos e soluções financeiras

Retomando as reuniões do Fórum da Indústria, a palestra com o economista Luís Artur Nogueira será realizada em Cáceres, no dia 16, e em Rondonópolis, no dia 19, ambas nas sedes do Senai de cada município. A programação também prevê visita às indústrias locais.

Já na terça-feira (24), a partir das 8h30, será realizado no centro de eventos do Senai Cuiabá o workshop Agro: tecnologia e aplicações espaciais. A iniciativa é idealizada pela Agência Espacial Brasileira (AEB) e conta com realização da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Fiemt, Senai e Governo de Mato Grosso. Inscreva-se aqui.  No mesmo dia, o Sistema Fiemt vai inaugurar a unidade do Senai em Alta Floresta.

No Dia da Indústria (25), a partir das 19h, a programação no Senai Cuiabá será de análises econômicas, homenagens e lançamento. A palestra magna da noite será com o economista e colunista do jornal Valor Econômico, Bruno Carazza, que vai analisar os cenários econômicos de 2023 a 2026 no contexto das eleições presidenciais de 2022. Ocorre ainda a solenidade de entrega de medalhas do Mérito Industrial à empresários do setor. As honrarias serão concedidas pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), por solicitação do deputado estadual Carlos Avalone. Na sequência, será lançado o programa Melhores Indústrias para Trabalhar em Mato Grosso.

Para fechar a programação, também no Senai Cuiabá, a partir das 8h, a quinta-feira (26) será dedicada à gestão de pessoas, das empresas, liderança, inovação e eficiência. Entre os palestrantes do Fórum da Indústria MT 2022 estão o médico psiquiatra especialista em gestão, Roberto Aylmer, o diretor do Great Place To Work (GPTW), Cauê Oliveira e a CEO da Falconi, Viviane Martins.

Texto e fotos: Viviane Saggin/Sistema Fiemt

Acompanhe o Sistema Fiemt nas redes sociais:

Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso
Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 4.193 - Centro Político Administrativo
Cuiabá - MT / CEP 78049-940 | Fone: (65) 3611-1500 / 3611-1555