Dorval Prates assume a presidência do Sindilam até 2022

12/12/2019 - 00h00

O empresário de Aripuanã, Dorval Prates Silveira, assumiu a presidência do Sindicato das Indústrias de Laminados e Compensados do Estado de Mato Grosso (Sindilam) no último dia 29, em substituição a Beto Torremocha, que agora passa à condição de vice-presidente da entidade. Sua principal missão à frente da entidade será a adequação de imagem do setor de base florestal à realidade, além do fortalecimento do associativismo na região.

“Queremos aumentar o número de sindicalizados e integrar o setor de base florestal com as sociedades de Aripuanã e de cidades vizinhas que compõem a área de abrangência do Sindicato. Em 2013, quando ganhamos autonomia, começamos com 32 associados aproximadamente; hoje já temos mais de 60. E pretendemos ampliar ainda mais nossa participação na pauta econômica regional, contribuindo com a geração de emprego e distribuição de renda”, disse o novo presidente.

Dorval lembra quando a oportunidade de mudança de vida bateu em sua porta. Foi nos idos de 1992 que ele começou a trabalhar como funcionário de uma indústria madeireira, em Juína, a cerca de 740 km de Cuiabá. Em 2004 veio a guinada. Decidiu empreender e montar sua própria fábrica na vizinha Aripuanã, distante 950 km da capital. De empregado a empregador, aos 48 anos, dos quais 27 dedicados à atividade, Dorval considera como uma das principais missões a encarar pela frente a desmistificação do setor.

O caminho para a mudança de percepção vem sendo trilhado em consonância com as ações do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), entidade da qual do Sindilam faz parte. “Sabemos da competência, do profissionalismo e do comprometimento que o Dorval possui. Temos certeza de que irá desempenhar um bom trabalho à frente do Sindilam durante esses anos”, avalia o presidente do Cipem, Rafael Mason.

O vice-presidente do Sindicato, Beto Torremocha, que ficou à frente da entidade por dois mandatos consecutivos, também pondera este mesmo desafio do setor de base florestal. Embora represente a terceira posição na pauta econômica de Mato Grosso, o setor ainda convive com percepção equivocada de uma relação que não condiz com a realidade.

“É preciso fazer-nos entender, explicar à sociedade o que e de que forma fazemos. É claro que a madeira é o nosso negócio. Mas manter a floresta viva também é a nossa missão. Afinal, precisamos dela de pé para sustentar nossa atividade. E é isso o que o manejo florestal sustentável nos proporciona, o equilíbrio na relação entre produção e conservação ambiental”, pontuou Beto.

A secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, participou dessa agenda positiva, reafirmando o compromisso da Sema com a produção sustentável. “É muito importante que as indústrias da base florestal estejam conscientizadas para desempenhar seu papel de forma consciente, respeitando o meio ambiente. Só assim alcançaremos o objetivo de manter crescente a atividade florestal, gerando emprego e renda, cumprindo seu papel com a economia e com a sociedade em geral”, conclui.

Fonte: Assessoria Cipem

Acompanhe o Sistema Fiemt nas redes sociais:

Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso
Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 4.193 - Centro Político Administrativo
Cuiabá - MT / CEP 78049-940 | Fone: (65) 3611-1500 / 3611-1555